Share |

André de Oliveira é candidato do Bloco à Câmara Municipal de S. João da Madeira

André de Oliveira, candidato do BE à CM

O Bloco de Esquerda apresentar-se-á a esta campanha autárquica com a mesma força e competência que marcou, por exemplo, os últimos 4 anos na Assembleia Municipal de S. João da Madeira.

Considerando que é necessária uma nova forma de fazer política, onde a campanha seja centrada nas propostas e onde as propostas sejam concretas e de rutura com uma série de situações existentes.

Considerando ainda que é fundamental trazer a democracia participativa, trazer as pessoas apartidárias e os movimentos sociais, de forma a participarem e alterarem o curso da política local e nacional, o Bloco de Esquerda propõe-se a fazer nestas eleições autárquicas uma aliança, não com os partidos, mas sim com as pessoas, apresentando uma campanha e uma candidatura que rompe com as barreiras dos partidos, mantendo as propostas de esquerda e de mudança que têm feito do Bloco de Esquerda uma Esquerda de Confiança.

O Bloco de Esquerda apresenta André de Oliveira como cabeça de lista para a Câmara Municipal de São João da Madeira.

Instrutor de Yoga e Meditação e estudante de Medicina Tradicional Chinesa no Instituto Europeu de Estudos Tradicionais Chineses no Porto, André de Oliveira também estudou teatro na Academia Contemporânea de Espetáculo do Porto e esteve na fundação de dois projetos musicais em S. João da Madeira: os Sólon Bulé e os Prana.

Membro ativo no Movimento de Cidadãos Independentes Pelo Sim a São João da Madeira, que organizou o Referendo de 16 de Setembro de 2012 em Milheirós de Poiares, André de Oliveira é também um ativista social e um defensor dos processos de democracia participativa e popular.

É, por isso, um jovem livre e irreverente, praticante, estudante e amante das mais diversas ciências orientais. A sua paixão pela descoberta e exploração da consciência humana levaram-no a estudar e explorar estas e outras áreas como o Cinema; a Literatura; a Escrita; o Teatro e a Música.

Por estas razões, André de Oliveira tem sido um membro da sociedade civil ativo na luta contra o sistema fraudulento e corrupto que nos tem sido imposto de forma brutal e abusiva. É um membro desta sociedade que declara abertamente a sua rutura com o sistema político instaurado e que deseja transformar, em conjunto com os seus pares, a sociedade em que vivemos numa sociedade mais livre e justa, onde cada indivíduo se possa expressar, viver e expandir-se livremente.

Reconhecendo que existe um significativo número de situações injustas e faltas de humanismo no que toca à organização social, comercial e de aproveitamento dos recursos humanos e naturais da cidade de São João da Madeira, André de Oliveira, com o apoio do Bloco de Esquerda, sabe ser capaz de fazer melhor no sentido de resolver estas falhas que persistem em continuar, e até aumentar, ao longo dos últimos anos.

Com esta candidatura, o Bloco tem como objetivo focar a sua atividade política nas seguintes áreas:

  • Ação Social, resolvendo as situações de maior degradação da qualidade de vida das centenas de famílias sanjoanenses que neste momento começam a ter dificuldades para pagar as contas básicas de sobrevivência;

  • Dinamizar o Comércio e Economia Locais, criando Bolsas para Arrendamento de Lojas com rendas controladas, trazer serviços públicos para o centro da cidade e fazer da Praça um ponto de venda dos produtos produzidos em São João da Madeira;

  • Plano de Habitação no Concelho, acabando com os edifícios devolutos e colocando as habitações no mercado com rendas controladas que permitam o acesso à habitação de qualidade a todas as pessoas que queiram viver em S. João da Madeira;

  • Aproveitamento dos recursos humanos, nomeadamente na dinamização das camadas mais jovens que hoje vivem cada vez mais em situação de precariedade ou desemprego e vêm com cada vez mais dificuldade o seu futuro profissional;

  • Dar prioridade à competência e à transparência nos processos políticos e de seleção de pessoal para cargos públicos, em detrimento do compadrio e benefício próprio que tem vindo a manchar e a marcar a cadência da política nas últimas décadas;

  • Baixar o preço da Água, remunicipalizando aquilo que é um bem público e essencial, acabando com a Tarifa de Disponibilidade e baixando o preço do consumo total de água até aos 10 metros cúbicos/mês.